CUIDADO !!!

3 de dezembro de 2017

Lorena


"Tão amada, tão esperada, e ainda nem chegou...
Está escondidinha, aconchegada no ventre do seu amor;

Esse amor que lhe aguarda ansiosamente, 
que imagina seu rostinho, seus olhinhos, 
que acorda na madrugada de repente...

Tão amada, tão esperada 
e já tão querida, essa pequena!...
Essa é a declaração de amor à nossa menina, 
Lorena!"



15 de fevereiro de 2017

Oyá de mim

Me escolheste desde o meu nascimento. E no decorrer da vida, foi dando sinais de que seria responsável por mim, pela minha proteção.

Na infância, meu carinho pelos búfalos. A impetuosidade fazendo parte do meu gênio, mas também uma calmaria precisa...

Companheira desde pequena, amorosa, grosseira!...rs

E ao conhecer a espiritualidade, aparece em meus sonhos conversando, me aconselhando. Dezessete anos atrás...

E nos tempos atuais, em um momento difícil, eis que entra em meu quarto uma borboleta branca; que rodopiou em círculos sobre mim, como se tivesse me abençoando, e dizendo que tudo ia ficar bem, porque “eu estou aqui”!

E no dia oito de fevereiro a verdade que me perseguiu a vida toda, no Ifá se confirmou. Que nessa caminhada de vida, Iansã seria minha mãe, madrinha querida, a quem me escolheu; meu orixá protetor!


17 de dezembro de 2015

O que aprendi em 2015


"Eu aprendi que se preocupar demais com as pessoas, faz com que se preocupe menos com você mesma.
Negligenciei a mim mesma por muito tempo.

Eu aprendia a lutar contra a depressão sem ajuda de remédios, usando a Fé e o amor próprio que descobri que existia, mas eu havia renegado por muito tempo.
Mas continuo lutando.

Eu descobri que nunca amei nenhum dos caras com que me relacionei.
Mas amei demais pessoas que considerava amigos.
Muitos se afastaram. Alguns ainda amo.

Eu entendi que amor é um substantivo. O amor precisa ser designado, precisa de um nome. E dentre tantos por quem me apaixonei, hoje sei que nenhum deles eu amei.

Eu percebi que muitas pessoas sumiram quando me afastei. Mas nunca perguntaram ou se preocuparam do por que do meu afastamento.
Mas o efeito foi positivo. Para mim.

Eu aprendi que a frase “só te procura quem gosta de você” é verdadeira. Percebi que poucos sentiram minha falta.
Já eu, não senti falta de quase ninguém.

Eu aprendi que o tempo e o isolamento foram uma terapia e reconhecimento de mim mesma, do mundo em que eu vivo e principalmente das pessoas que me cercavam e me cercam.
Antes só, do que mal compreendida.

Eu percebi que sempre fui uma boa ouvinte, sempre tive uma boa percepção do sofrimento alheio, e por isso nunca deixei de procurar por ninguém, mesmo insistindo. Mas no momento em que tive a necessidade de ser ouvida, não houve ninguém.
Ninguém insistiu por mim.

Eu descobri que posso dizer não e isso não me dói mais. Dizer não, não é uma coisa ruim. É necessário.

Eu notei que os nossos valores mudam com o passar dos anos. Que os amigos mudam com os passar dos anos. E que eu mudei com o passar dos danos.
Estou mais forte que o ano passado. E mais consciente do que nunca.

Eu aprendi que tudo aquilo que parece ruim, é necessário. Porque te fortalece, te endurece, mas não apaga sua sensibilidade. Apenas te deixa mais racional.
Posso andar vestida e armada, mas nunca desamparada.

Dois mil e quinze foi um ano difícil, de muita luta e dificuldades, no qual agradeço por cada uma. Tudo que vivi, aprendi, descobri, nunca foi tão necessário.
Ainda estou caminhando, aprendendo, mas, de uma coisa eu tenho certeza, já não sou mais a mesma.


“... Caminhar para a próxima etapa ou recebê-la com os passos prontos.
No fundo, a gente quer ser feliz apesar de tudo. Mas sempre é preciso partir: para ou de algum ponto.”


(Marla de Queiroz)

18 de março de 2015

À Espera

"À espera... À procura...
A dor que não cura.
Em meio à saudade, o desespero da busca pela verdade,
Perdido em meio a tanta saudade...
Busco um caminho, busco uma luz, tiro um espinho
Mas ainda dói, meu coração sangra,
E nada estanca essa ferida...
A saudade fere ainda mais, e parece que nunca ficará esquecida
Meus erros me culpam, me atormentam, me julgam...
O álcool me entorpece, mas não fenece...
Peço perdão, rastejo, pedindo compreensão,
Ela não esquece...
Ela merece flores, ela merece um amor puro, sem defeitos.
Eu mereço a dor da saudade, e conviver com meus erros...
À espera... À procura
Não restou mais nada do amor que recusei,
Junto meus pedaços para que ela os refaça
Mas ela resiste, me afasta...
Perdido por esse amor em busca do perdão,
À espera, à procura, mas não será em vão.
A fé que guia minhas esperanças,
Não há de morrer.
A espera, a procura cessará um dia,
E em teus braços eu hei de viver.” 



Poema inspirado no livro Corações Quebrados, de Sofia Silva disponível no link - http://www.wattpad.com/story/28610187-cora%C3%A7%C3%B5es-quebrados

8 de março de 2015

Dia da Mulher


Soneto do Corifeu (da peça Orfeu da Conceição)

"São demais os perigos desta vida
Pra quem tem paixão, principalmente
Quando uma lua chega de repente
E se deixa no céu, como esquecida

E se ao luar que atua desvairado
Vem se unir uma música qualquer
Aí então é preciso ter cuidado
Porque deve andar perto uma mulher

Deve andar perto uma mulher que é feita
De música, luar e sentimento
E que a vida não quer de tão perfeita

Uma mulher que é como a própria lua:
Tão linda que só espalha sofrimento
Tão cheia de pudor que vive nua..."



20 de outubro de 2014

Dia do Poeta

"Dos poetas de ontem, aos poemas de hoje,
Aos que utilizam da palavra para exercitar, emergir, considerar, expressar,
Aos que fazem da palavra uma rima, uma sina, um modo de se declarar...
De Vinícius à Marla, que me inspiram, me induzem a poetizar
Que ao tempo atravessou sem esquecer que amar é crucial para escrever;
Que a paixão as palavras é o próprio verbo TER
Ter amor, ter tesão, ter a intensão!
Escrever instiga, excita, acalma e trai.
Não existe terapia melhor do que escrever e ler sobre o que mais lhe atrai.
E de Marla à Vinícius noto que nada mudou
A essência é viva e nítida
e o crepitar desse amor é intenso
tal qual é o amor por tudo o que eu poetizo e escrevo.
Sem as palavras nada sou, eu me reinvento."



Obs: uma pequena homenagem aos meus poetas preferidos, Vinicius de Moraes e Marla de Queiroz! 

29 de agosto de 2014

Renascendo

Não abandonei meu blog não, pelo contrário. A inspiração que andou me abandonando ultimamente!....rs

Confesso que não estar apaixonada ou sofrendo por alguém, pela primeira vez na minha vida, me causou esse efeito meio “vazio”, digamos assim.
Mas sou obrigada a confessar que esse “vazio” está sendo muito bem vindo. 
Engraçado que, quando descobri que meu coração e pensamento estavam vazios pela primeira vez na minha vida, em uma noite, quando me deitei prá dormir e não tinha em quem pensar!
Não tinha com quem sonhar. Não tinha àquela “coisa” no coração, sabe?
Já me apaixonei muito...  Já sofri muito...  Já me doei e me dei muito.
Aí logo veio a depressão. E ela veio com força total. 
É uma sensação estranha e dolorosa.
Muitas coisas do passado e que nada tem a ver com as paixões que tive, começam a te visitar e mexer com você. Coisas que fizeram parte inclusive da minha infância.
É uma fraqueza... Uma incapacidade, um desânimo sem fim. 
Tenho lutado com ela todos os dias. Um dia estou bem. Em outros nem tanto. E noutros eu tento fingir. Nem sempre eu consigo. Nem sempre é bom.
Um ano depois, quando eu consegui ver uma certa claridade em meio a tanta “escuridão”, foi muito... estranho.
Porque eu me afastei naturalmente de muitas pessoas, e lugares. Algumas pessoas parece que usavam uma máscara e de repente ela caiu. Não as vejo mais como antes. Muitas não quero nem que me toquem. É...eu sei que é estranho... Mas parece que tudo que eu vivi antes da depressão, as pessoas que conheci e me apaixonei, aconteceu há muitooo tempo. Em outra vida.
O sentimento que eu tinha por pessoas, lugares, coisas, acontecimentos mudou. Hoje parece que tem outro significado.
Eu mudei.
Ler foi a minha a minha terapia. 
Quando meu desespero batia, eu corria prá Igreja de Santo Antônio, que tem aqui pertinho, e ficava lá, até passar. Chorava até cansar.
E quando eu queria fugir de tudo, eu lia. Lia muito. Três, quatro livros por semana. Às vezes até mais. Por madrugadas. Até amanhecer o dia. 
E ler foi me ajudando a fugir, a distrair, a crescer.
Eu não consigo mais me expressar como antes. Sinto que alguma parte boa de mim se foi. E algumas ruins também.
Sinto falta do pouco que fui e sei que nunca mais serei. E dei boas vindas para uma nova que está se instalando aos poucos.
A luta é diária. Lutar com uma força que parece que quer te dominar é difícil...e estranho.
E eu luto, todos os dias.
E como nada na vida é permanente, espero com fé em Deus e nos meus amigos espirituais, sempre incluindo os meus Orixás, que será uma fase. Difícil, mas que eu vou conseguir enfrentar.


"Nada renasce antes que se acabe. E o sol que desponta tem de anoitecer."

(Vinicius de Moraes) 













6 de junho de 2013

20 de maio de 2013

17 de maio de 2013

#MudandoStatusPara...



"Confiança se conquista, tem que deixar rolar, 
não é postando no face, mudando status que preciso provar...
E isso é muito pouco perto do que eu ainda quero te dar...
Acredite em mim, isso não é tudo, não se apegue a esse mundo;
Quando menos esperar, e é assim que tem que ser,
mudo meu status, posto nossa foto, só prá agradar você!..."